Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Pastoral da Criança sugere uso de títulos em projetos sociais

Para garantir recursos regulares para as entidades sociais, a Pastoral da Criança propôs hoje ao ministro da Fazenda, Antonio Palocci, a criação de fundos patrimoniais de rendimentos com títulos do Tesouro Nacional. Pela proposta, as empresas e pessoas físicas interessadas em financiar projetos na área social doariam às entidades títulos da dívida pública de longo prazo para a formação dos fundos. Com os rendimentos dos papéis, as entidades assegurariam recursos permanentes para manter as suas atividades e projetos.A proposta foi apresentada ao ministro pela médica Zilda Arns, coordenadora nacional da Pastoral da Criança, organismo de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Segundo Zilda, o ministro gostou da idéia e orientou a sua equipe a fazer os estudos técnicos. ?Para a entidade social seria vantajoso, porque ela teria um recurso permanente, que oneraria menos o governo. Já o governo também ganharia, porque teria um prazo grande para pagar a sua dívida, com juros menores?, disse o coordenador-adjunto da Pastoral, Nelson Arns Neumann.Zilda Arns pediu também a Palocci a liberação de recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust). O dinheiro seria usado no projeto de inclusão digital da Pastoral da Criança, que prevê a criação de 540 telecentros (locais com biblioteca e acesso em tempo integral à internet) em todo o País. O Fust tem hoje cerca de R$ 3 bilhões depositados. A coordenadora da Pastoral discutiu ainda a liberação de recursos para projetos da Pastoral destinados à geração de renda de incentivo às pequenas e microempresas.

Agencia Estado,

15 de abril de 2004 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.