Jeon Heon-Kyun/Efe - 2/11/2011
Jeon Heon-Kyun/Efe - 2/11/2011

Paul Volcker, ex-presidente do Fed que venceu a inflação nos EUA, morre aos 92 anos

Em seu último cargo oficial, no governo de Barack Obama, ele convenceu parlamentares a impor restrições a grandes bancos, medida que ficou conhecida como 'regra Volcker'

The New York Times

09 de dezembro de 2019 | 11h51

Paul Volcker, que ajudou a moldar a política econômica dos Estados Unidos por mais de seis décadas, principalmente liderando a campanha de força bruta do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) para conter a inflação no final dos anos 1970 e início dos anos 80, morreu neste domingo, 8, em Nova York, aos 92 anos.

A morte foi confirmada por Janice Zima, sua filha. Volcker, uma figura imponente e taciturna, chegou a Washington quando a hegemonia econômica do pós-guerra dos Estados Unidos estava começando a desmoronar. 

Como funcionário do Departamento do Tesouro nas gestões dos presidentes John F. Kennedy, Lyndon B. Johnson e Richard M. Nixon, Volcker travou uma longa e perdida luta para preservar o sistema monetário internacional pós-guerra estabelecido pelo acordo de Bretton Woods. 

Como alto funcionário do Federal Reserve de 1975 a 1987, além de combater a inflação, ele tentou limitar a flexibilização da regulamentação financeira e alertou que o rápido crescimento da dívida federal ameaçava a saúde econômica do país. 

Em seu último cargo oficial, como presidente do Conselho Consultivo de Recuperação Econômica do presidente Barack Obama, formado em resposta à crise financeira de 2008, ele convenceu os parlamentares a impor novas restrições aos grandes bancos - uma medida conhecida como "regra Volcker". 

Volcker entrelaçou seu longos períodos no serviço público com uma carreira lucrativa em Wall Street, mais destacadamente como executivo-chefe do banco de investimentos Wolfensohn & Co. 

Sua reputação de integridade austera também fez dele uma escolha popular como árbitro independente. Em um caso, ele supervisionou a recuperação de depósitos que os bancos suíços não haviam retornado às famílias das vítimas do Holocausto. 

Sua conquista definidora, no entanto, foi seu sucesso em encerrar um período prolongado de inflação alta depois que o presidente Jimmy Carter o escolheu para ser presidente do Fed, em 1979. Ele venceu com terapia de choque, mas o custo foi alto. Quando os consumidores pararam de comprar casas e carros, milhões de trabalhadores perderam o emprego. Construtores furiosos enviaram pedaços de mármore para a sede do Fed em Washington. Volcker, porém, conseguiu controlar a inflação no país.

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoFederal ReservePaul Volcker

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.