Paulinho contesta Palocci e diz que não há emprego no interior

O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, contestou hoje, em entrevista à Agência Estado, a avaliação do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, de que os empregos têm sido gerados no interior, principalmente em torno do agribusiness, enquanto há retração da oferta de trabalho nas regiões metropolitanas. "Isso é conversa fiada. Não há oferta de emprego nem em um e nem em outro lugar. O desemprego é generalizado", sustentou o sindicalista.Paulinho argumentou que os números divulgados pelo Ministério do Trabalho, baseados no Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), apontando para o crescimento do emprego no campo nos três primeiros meses desse ano em comparação ao ano anterior, são "irrelevantes" se comparados com o contingente de desempregados. "Não tem emprego nem no campo e nem nas regiões metropolitanas, inclusive porque a expansão do agronegócio está muito calcada numa base tecnológica, de máquinas e não em trabalhadores", comentou."O governo tem que se preocupar com mudanças na política econômica, reduzir os juros, o superávit fiscal e o depósito compulsório dos bancos e estimular o emprego, e não tentar encontrar justificativas para camuflar a realidade", complementou. Paulinho está em Brasília para participar do fórum realizado pelo PL para discutir desenvolvimento e compromisso social. "Fui convidado pelo pessoal do PL para fazer uma palestra e vou falar um pouco mal do governo", antecipou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.