Paulinho critica gradualismo do Copom

O governo federal está dando as costas para as necessidades econômicas e sociais do País e isso ficou provado com o anúncio, ontem, de um corte de apenas 1 ponto porcentual na taxa básica de juros, que caiu de 20% ao ano para 19%. A afirmação é do presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, em nota divulgada à imprensa. "A queda só fez com que os juros se mantenham no mesmo patamar do governo anterior, cujas políticas iniciaram o processo de sucateamento da nossa economia e mais especificamente da nossa indústria", diz Paulinho.Para ele, esse gradualismo do Copom, ao lado de outras medidas igualmente ineficazes, já comprometeu a economia no primeiro semestre do ano que vem. "A única forma de reverter esse quadro e realizar uma verdadeira transformação na economia brasileira é por meio da promoção de quedas bruscas na taxa básica de juros, diminuição do compulsório bancário e descontingenciamento das verbas públicas", diz o presidente da Força Sindical.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.