Paulistano quer gastar menos no Dia das Crianças

Cerca de 72% dos consumidores pretendem dar presentes para crianças neste ano. O volume é superior ao do ano passado, quando apenas 59% das pessoas entrevistadas pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) manifestaram esta intenção. A sondagem que ouviu 850 consumidores revelou também que, por outro lado, caiu o gasto médio previsto para o presente do Dia das Crianças.Cerca de 82% dos entrevistados disseram que não terão condições de dar um presente de valor elevado. No ano passado, a estimativa de preço era de R$ 37. Este ano passou para R$ 33,74. Os presentes mais cotados, conforme a pesquisa, são os brinquedos em geral, com 57,6% das intenções de compra. Em segundo lugar ficou o segmento de vestuário, com 13,2%, seguido por CDs (5,1%) e calçados (3,8%).O comércio de rua será o local escolhido pela maioria dos consumidores, o que indica a intenção de encontrar produtos com preços mais atraentes. De acordo com a sondagem, 57% das pessoas irão optar pelas lojas de rua, seguidas pelos shoppings (29,2%), camelôs (5,7%) e hipermercados (1,6%). Em relação à forma de pagamento, a maioria dos consumidores (66%) deve escolher a opção à vista, embora a expectativa do comerciante seja de realizar a maior parte das vendas no crediário (42%) e no cartão de crédito (30,7%).Na avaliação da federação, o cenário econômico mais favorável do que em 2003, com maior acesso ao crédito, taxas de juros menores e queda no desemprego, motivou o consumidor a comprar. Mas a queda do preço médio do presente é um sinal de que a população continua com o seu poder de compra enfraquecido e a sua renda comprometida com dívidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.