Paulo Bernardo vê disputa de tapas em leilão de banda larga

Se todos os lotes forem vendidos, o governo deve arrecadar pelo menos R$ 3,8 bilhões, segundo o ministro das Comunicações

Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

27 de abril de 2012 | 11h51

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que haverá disputa intensa nos leilões da internet de quarta geração (4G) e banda larga rural, marcados para junho. Se todos os lotes forem vendidos, o governo deve arrecadar pelo menos R$ 3,8 bilhões, segundo o ministro.

"Vai ser uma disputa de tapas para ganhar. Quem está preocupado com o Dia dos Namorados é melhor comemorar no dia 11. O dia 12 será de intensa disputa", disse o ministro.

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, disse que a expectativa é que haja competição, mesmo na banda larga rural. Nesse caso, a disputa será pelo menor preço da cesta de serviços. O teto da cesta será de R$ 63,00 sem impostos.

A cesta inclui valor de R$ 0,316 por minuto para voz no pré-pago, R$ 30,6 por mês para voz pós-paga com franquia de 100 minutos, R$ 32,59465 para franquia de dados e R$ 0,25134 por minuto que a concessionária vai pagar à empresa que implantar a rede.

As garantias para participação do leilão somam R$ 830.624.777,00 para todas as faixas que serão licitadas. A Anatel divulgou também o valor das garantias referentes aos compromissos assumidos pelos vencedores, que serão depositadas somente após assinatura do contrato. O valor total é de R$ 16.071.213.569,00. Bernardo e Rezende não quiseram falar sobre a expectativa de ágio.

Tudo o que sabemos sobre:
banda largaleilãoPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.