Clauber Cleber Caetano/PR
Clauber Cleber Caetano/PR

Guedes vai aos Estados Unidos vender a ideia de que Brasil é 'porto seguro' para investidores

Ministro também deve se posicionar reservadamente pela manutenção da Rússia como membro do G20, do FMI e do Banco Mundial

Antonio Temóteo, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2022 | 14h10

BRASÍLIA - Pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) a aumentar os gastos públicos em ano eleitoral, o ministro da Economia, Paulo Guedes, inicia neste domingo, 17, uma série de compromissos em Washington, nos Estados Unidos, para vender a ideia de que o Brasil é um “porto seguro” para receber investimentos.

Guedes participará das reuniões de ministros de finanças no G20, no Fundo Monetário Internacional (FMI) e no Banco Mundial até o próximo sábado, 23. Além disso, ele deve conciliar a agenda para se encontrar com investidores privados, banqueiros e empresários. Segundo um técnico da equipe econômica, que pediu para não ser identificado, o ministro vai "vender" aos investidores o Brasil como "solução", "porto seguro para os investimentos". "Fizemos o dever de casa com as reformas domésticas e isso nos torna mais resilientes ao ambiente mais adverso e turbulento”, disse.

No G20, os riscos para a economia global serão o principal tema de discussão entre os ministros. Os efeitos econômicos da guerra da Ucrânia e da pandemia de covid-19, com a interrupção das cadeias globais, estarão em debate.

Os representantes das maiores economias do mundo também discutirão a segurança energética e alimentar dos países, a crise da dívida e a falta de recursos das nações identificação, enfrentamento e tratamento de potenciais futuras pandemias.

A criação de um fundo para apoiar países em situação de vulnerabilidade estará em debate no FMI. Os países membros do organismo internacional fizeram um aporte adicional de recursos recentemente e como usar esses recursos para ajudar as nações mais pobres  estará em discussão.

As finanças sustentáveis também serão debatidas no FMI. Guedes aproveitará para apresentar os programas lançados pelo Brasil para alavancar o crescimento com sustentabilidade. O ministro quer mudar a percepção dos estrangeiros em relação ao compromisso do País com a preservação ambiental.

O processo de digitalização dos países será o debate central do Banco Mundial e Guedes apresentará os avanços do Brasil na área. As diferenças entre as economias desenvolvidas e em desenvolvimento no avanço dessa pauta também serão discutidas.

Guedes e os integrantes da comitiva também devem se posicionar reservadamente pela manutenção da Rússia como membro do G20, do FMI e do Banco Mundial. “Vamos aproveitar as reuniões em todos os fóruns para levar a mensagem de que romper os canais de comunicação não é a melhor estratégia para buscar soluções para os problemas”, disse outro técnico da equipe econômica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.