Paulson diz que Tesouro planeja novos programas de resgate

Segundo secretário norte-americano, Tesouro vai usar recursos de plano de US$ 700 bi para normalizar crédito

André Lachini, da Agência Estado,

20 de novembro de 2008 | 17h39

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos ainda desenvolve novos programas sob o pacote de socorro de US$ 700 bilhões ao sistema financeiro, mesmo que tenha colocado de lado a idéia original de comprar ativos tóxicos que estavam nos balanços dos bancos, disse nesta quinta-feira, 20, o secretário do Tesouro, Henry Paulson. Veja tambémDe olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise  "Embora nós não prossigamos com os programas de compra direta de ativos, nós planejamos usar as reservas de maneira agressiva para apoiar a normalização do crédito nos mercados e a expansão do crédito para respaldar a recuperação da economia", disse o secretário do Tesouro, de acordo com o texto de um discurso que ele fará mais tarde na Biblioteca Presidencial Ronald Reagan, em Simi Valley, Estado da Califórnia. "Nós estamos trabalhando no desenvolvimento de projetos que serão implementados quando estiverem prontos", disse Paulson. Paulson, segundo o texto, deverá defender as ações "sem precedentes" que o Tesouro tomou neste ano para cortar pela raiz a pior crise financeira em décadas. Ele também afirmou no texto que os EUA precisam tomar a liderança nos esforços para reformar o sistema financeiro mundial. "Isso nunca mais pode acontecer de novo", ele disse. "Os EUA precisam liderar os esforços para a reforma financeira mundial e nós precisamos começar isso colocando em ordem a nossa casa". Paulson notou no texto que, quando ele assumiu o Tesouro, em 2006, os "mercados estavam propícios".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.