Paulson: emergentes devem crescer, mas sem inflação

As autoridades dos mercados emergentes precisam estar especialmente atentas para implementar medidas para dar suporte ao crescimento não-inflacionário, para fortalecer a resiliência econômica e garantir sistemas financeiros sólidos, disse o secretário do Tesouro, Henry Paulson, em discurso no Comitê Monetário e Financeiro Internacional (IMFC, na sigla em inglês), órgão que estabelece as estratégias do Fundo Monetário Internacional (FMI). Na sede do FMI, o secretário do Tesouro observou que os países dos mercados emergentes fizeram "avanços impressionantes" no fortalecimento dos fundamentos, mas não estão imunes ao estresse financeiro global. Os comentários fazem parte do discurso feito aos ministros e os banqueiros centrais de 24 países membros do Fundo, que inclui o reconhecimento de que este é um "período bastante desafiador para os EUA". No discurso, Paulson ainda acrescentou que os "eventos extraordinários" exigem uma resposta global e admitiu que os riscos ao ambiente econômico são os mais sérios e desafiadores da memória recente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.