Paulson não vê pressa para pacote de estímulo econômico

O secretário do Tesouronorte-americano, Henry Paulson, disse nesta segunda-feira que ogoverno Bush está estudando como dar um empurrão na economia emmeio à correção no mercado imobiliário, mas ressalvou que nãohá pressa para isso. "Nossa meta mais imediata é minimizar o impacto sobre aeconomia real", disse em trecho de discurso a ser realizado emNova York. "Isso vai exigir paciência enquanto avaliamoscuidadosamente os próximos passos." "Trabalhar a situação atual e ter a política certa é maisimportante do que anunciar rapidamente essa decisão",acrescentou Paulson. Tem crescido a expectativa de que Bush possa apresentar umpacote de estímulo para a economia no discurso sobre o Estadoda União, programado para 28 de janeiro. Paulson disse que a crise imobiliária vai durar algumtempo, e acrescentou que o impacto dela já estava aparente nosdados de emprego de dezembro, quando apenas 18 mil vagas foramcriadas fora do setor agrícola. "Provavelmente vamos ter novas indicações de crescimentomais lento nos próximos meses e semanas", alertou. "A grandequantidade de casas à venda vai contribuir para um ajusteprolongado, e representa de longe o principal risco." Mas Paulson disse que uma correção no mercado imobiliário--caracterizada pela queda dos preços das moradias e pelasvendas fracas-- era "inevitável e necessária" após anos em quebancos e outros concessores de hipotecas praticaram regras"frouxas" para o crédito e os preços subiram muito rápido. (Reportagem de Glenn Sommerville)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.