finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Pedágio mais caro de trechos em leilão será na BR 116

A tarifa-teto de R$ 4,188 para os pedágios que serão cobrados no trecho da BR 116, de Curitiba até a divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul, é a maior do edital de leilão de concessão de sete trechos de rodovias federais, que será publicado amanhã pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).No leilão, marcado para 9 de outubro, arrematarão os lotes as empresas que se oferecerem para operar as estradas cobrando o menor pedágio. Segundo o diretor-geral da ANTT, José Alexandre Resende, caso haja empate em algum lote, a disputa será decidida por sorteio. "Mas acho difícil que aconteça empate, já que os lances vão até a terceira casa decimal", disse.Segundo José Alexandre, as empresas que vencerem o leilão assinarão os contratos em janeiro, mas só poderão começar a cobrar os pedágios seis meses depois. Nesse intervalo de tempo, elas terão de fazer os chamados "trabalhos iniciais", que são, basicamente, obras de manutenção. Assim, a expectativa é de que os usuários comecem a pagar os pedágios apenas em junho de 2008. O valor a ser pago nas praças de pedágio será corrigido, pelo IPCA, em relação ao preço que for fixado no leilão.Nos outros trechos a serem leiloados, a tarifa-teto varia de R$ 2,685, na Régis Bittencourt (BR 116, entre São Paulo e Curitiba) a R$ 4,083, na BR 153 (da divisa SP/MG até a divisa SP/PR).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.