Pedido de auxílio-desemprego nos EUA é o maior em 5 anos

Pedidos crescem em sete mil em uma semana e atingem 455 mil, o maior nível desde março de 2002

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

07 de agosto de 2008 | 12h13

Os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos subiram inesperadamente em 7 mil na semana encerrada em 2 de agosto, após ajustes sazonais, para 455 mil pedidos, informou o Departamento de Trabalho. O nível é o mais alto desde março de 2002 e ficou bem acima do previsto por economistas, que esperavam queda de 20 mil. Segundo o Departamento, a recente extensão nos benefícios para 13 semanas continua atraindo novas pessoas para o sistema, que descobrem que são elegíveis para pedir novo auxílio-desemprego. Assim, "vêm pessoas para o sistema que provavelmente não registrariam ausência" no programa de benefícios estendidos, disse um analista do Departamento, sem detalhar quantas pessoas. A média quadrissemanal de pedidos saltou 26.750 para 419.500, o maior nível desde julho de 2003 e bem acima da marca de 400 mil normalmente associada com recessões. Os benefícios recebidos há mais de uma semana aumentaram em 31 mil na semana encerrada em 26 de julho, para 3,31 milhões, o nível mais alto desde dezembro de 2003. A taxa de desemprego para os trabalhadores que recebem o benefício se manteve em 2,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
EmpregoEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.