Pedido de falência suspende negócios da Vasp na bolsa

O pedido de falência ajuizado na quinta-feira contra a Vasp fez a Bolsa de Valores de São Paulo suspender os negócios com as ações da companhia área no pregão de hoje. O pedido de falência é do Condomínio Hotel Le Canard, de Guarulhos, na Grande São Paulo, e está sendo analisado pela 42ª Vara Cível.Não é a primeira vez que a Vasp sofre pedido de falência por parte dos credores. Em outubro, a GE, que faz a manutenção de suas aeronaves, cobrou na Justiça uma dívida de R$ 9 milhões. Logo após este pedido de falência, a Infraero, empresa que administra os portos no Brasil, também cobrou uma dívida de R$ 11 milhões da companhia presidida por Wagner Canhedo. Na época, o Departamento de Aviação Civil (DAC) chegou a proibir a companhia de voar com seis aviões por deficiência técnica Depois de longa negociação, que envolveu o então ministro da Defesa , José Viegas, e o ministro da Casa Civil, José Dirceu, o problema foi aparentemente contornado e a renovação do contrato da companhia aérea foi renovado por 6 meses. A dívida total da Vasp supera R$ 2,5 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.