Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Pedidos de auxílio-desemprego no Reino Unido sobem em janeiro

Novas solicitações cresceram 2,4 mil; expectativa era de que o número de pedidos caísse 3 mil

Danielle Chaves, da Agência Estado,

16 de fevereiro de 2011 | 08h02

O número de pessoas que pediram auxílio-desemprego no Reino Unido inesperadamente aumentou em janeiro, com a quantidade de mulheres em busca do benefício atingindo um recorde, segundo o Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês).

Os pedidos de auxílio-desemprego subiram 2,4 mil e a taxa de desemprego ficou em 4,5%. Economistas consultados pela Dow Jones esperavam que o número de pedidos diminuísse 3 mil. Em dezembro houve queda de 3,4 mil pedidos e a taxa de desemprego também foi de 4,5%.

A quantidade de mulheres com idade entre 25 e 49 anos que buscaram o benefício aumentou 6,6 mil em janeiro, para 244,5 mil - o volume mais alto desde que a pesquisa começou a ser feita, em 1997.

Segundo o ONS, a medida internacional de desemprego - que era conhecida como a medida da Organização Internacional do Trabalho (ILO, em inglês) - subiu 44 mil nos três meses até o fim de dezembro, para 2,5 milhões. Para comparação, houve alta de 49 mil nos três meses até novembro. A taxa de desemprego de acordo com a medida ILO permaneceu em 7,9%, igual a dezembro.

O desemprego para pessoas economicamente ativas com idade entre 16 e 24 anos aumentou 66 mil, para 965 mil, no quarto trimestre de 2010, o nível mais alto desde 1992. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
reino unidoauxílio-desemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.