Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem ao menor nível desde início de 2006

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu para o menor nível em quase oito anos e meio na semana passada, sugerindo que a recuperação do mercado de trabalho está ganhando tração.

REUTERS

24 de julho de 2014 | 09h47

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 19 mil, para 284 mil segundo dados ajustados sazonalmente, na semana que terminou em 19 de julho, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Esse é o menor nível desde fevereiro de 2006, e contrariou as expectativas de economistas de um aumento para 308 mil.

Os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior foram revisados para mostrar mil pedidos a mais do que o total divulgado anteriormente.

A média móvel de quatro semanas para novos pedidos, considerada uma medida melhor das condições do mercado de trabalho pois atenua a volatilidade semanal, caiu em 7.250, para 302 mil, na semana passada, atingindo o menor nível desde maio de 2007.

A criação de vagas aumentou em mais de 200 mil em cada um dos últimos cinco meses, uma sequência não vista desde o final da década de 1990.

(Por Lucia Mutikani)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAAUXILIODESEMPREGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.