Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem, mas ficam acima de 400 mil

Indicador sugere que há desaceleração na recuperação do mercado de trabalho norte-americano

Reuters,

21 de abril de 2011 | 10h56

O número de norte-americanos pedindo auxílio-desemprego caiu na última semana, mas continuou acima de 400 mil, sinalizando uma perda de força na recuperação do mercado de trabalho dos Estados Unidos.

O decréscimo na quantidade de pedidos foi de 13 mil, totalizando 403 mil com ajuste sazonal, informou o Departamento de Trabalho dos EUA nesta quinta-feira.

Analistas consultados pela Reuters previam uma queda para 392 mil. A quantia da semana anterior foi revisada de 412 mil para 416 mil.

A média móvel quadrissemanal de pedidos - considerada uma medida melhor das tendências do mercado de trabalho - teve alta de 2.250, para 399 mil.

Os dados de auxílio-desemprego cobriram o período pesquisado para o relatório de postos de trabalho do governo dos EUA, que será divulgado no início de maio. A economia norte-americana criou 216 mil empregos em março, a maior geração de vagas em 10 meses, e a taxa de desemprego caiu de 8,9% para 8,8%, o menor nível em dois anos.

(Reportagem de Lucia Mutikani; Reportagem adicional de Chris Reese em Nova York)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAEMPREGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.