Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA ficam acima do previsto

O número de norte-americanos que deram entrada a pedidos de auxílio-desemprego subiu para o maior nível em 11 meses na semana passada, sugerindo um enfraquecimento do ambiente de trabalho enquanto o país entrava em uma ação militar no Iraque. O Departamento do Trabalho dos Estados Unidos informou que houve crescimento de 38 mil no número de pedidos para 445 mil na semana encerrada em 29 de março. O total de solicitações é o mais elevado desde 13 de abril de 2002. A média da quadrissemana, que atenua fatores sazonais, cresceu em 2.500, para 426.250. Os números causaram surpresa em Wall Street, uma vez que a estimativa consensual era que houvesse aumento de 8 mil solicitações. Um porta-voz do departamento afirmou que não havia nenhuma excplicação específica para o aumento, embora a temperatura baixa nos estados da região oeste do países tenham sido responsáveis por uma pequena parcela dessa alta. O departamento informou ainda que o número de trabalhadores que sacaram o benefício por um prazo superior a uma semana cresceu em 107 mil, para 3.608.000, na semana encerrada em 22 de março - último período com dados disponíveis sobre esse movimento. O movimento foi o maior nível desde 16 de novembro de 2002. O departamento revisou os dados sobre pedidos feitos na semana até 15 março, elevando-o em 5 mil, para 407 mil. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.