finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA recuam 22 mil

Pela segunda vez em fevereiro, o número de novos pedidos ficou abaixo de 400 mil 

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2011 | 10h47

O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego recuou mais do que o esperado na semana passada, em 22 mil na semana até 19 de fevereiro, para 391 mil. O número de novos pedidos ficou abaixo de 400 mil pela segunda semana este mês, considerado pelos economistas um ponto em que a economia está produzindo mais vagas do que fechando.

Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 5 mil nas solicitações, para 405 mil. O número de pedidos da semana anterior foi revisado em alta para 413 mil, de 410 mil informado anteriormente.

A média móvel de pedidos feitos em quatro semanas - calculada para suavizar a volatilidade do dado - caiu 16,5 mil para 402 mil na semana que terminou em 19 de fevereiro, menor nível desde julho de 2008.

Na semana encerrada em 12 de fevereiro, o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego caiu 145 mil em relação à semana anterior, para 3,790 milhões.

A taxa de desemprego para trabalhadores com seguro-desemprego caiu para 3% na semana até 12 de fevereiro, de 3,1% na semana anterior.

Nos EUA, as regras para distribuição do auxílio-desemprego variam de Estado para Estado e nem todos os desempregados têm direito ao benefício. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
euaauxílio-desemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.