Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm menor nível desde maio de 2008

Novas solicitações recuaram 19 mil, para 366 mil, na semana até 10 de dezembro 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2011 | 12h08

WASHINGTON - O número de trabalhadores norte-americanos que entrou pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego recuou 19 mil, para 366 mil, menor nível desde maio de 2008, após ajustes sazonais, na semana até 10 de dezembro, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam alta de 9 mil solicitações. O número da semana anterior foi revisado em alta para 385 mil, dos 381 mil informados anteriormente.

A média móvel de pedidos feitos em quatro semanas - calculada para suavizar a volatilidade do dado - caiu 6.500, para 387.750, o menor nível desde julho de 2008. É a quinta semana consecutiva que a média móvel está abaixo de 400 mil, um sinal de que a economia está criando mais empregos do que cortando vagas.

Na semana encerrada em 3 de dezembro, o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego aumentou 4 mil, para 3,603 milhões.

A taxa de desemprego para trabalhadores com seguro-desemprego foi de 3,5% na semana até 3 de dezembro, inalterada na comparação com a taxa da semana anterior.

Nos EUA, as regras para distribuição do auxílio-desemprego variam de Estado para Estado e nem todos os desempregados têm direito ao benefício. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
estados unidoseconomiadesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.