Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm menor nível em 14 anos

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu para mínima de 14 anos na semana passada, sinal positivo para o mercado de trabalho que pode conter as dúvidas sobre se a economia está melhorando.

REUTERS

16 de outubro de 2014 | 09h44

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 23 mil, para 264 mil segundo números ajustados sazonalmente, menor nível desde 2000, informou nesta quinta-feira o Departamento do Trabalho.

Isso sugere que o mercado de trabalho está ganhando força e pode impulsionar a visão de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, irá elevar a taxa de juros no próximo ano, quando a expectativa é que taxa de desemprego continue a cair.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que os pedidos subissem para 290 mil para a semana encerrada em 11 de outubro.

A média móvel de quatro semana, considerada medida melhor das tendências do mercado de trabalho já que elimina a volatilidade semanal, caiu em 4.250, para 283.500, também o menor nível desde 2000.

(Reportagem de Jason Lange)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAAUXILIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.