Rafael Neddrmeyer/Fotos Públicas
Rafael Neddrmeyer/Fotos Públicas

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Pedido de seguro-desemprego recua em junho, mas chega a quase 4 milhões no semestre

No mês passado, foram 653 mil pedidos, uma queda de 32% em relação a maio; em relação a junho de 2019, houve aumento de 28,4%

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2020 | 14h04

BRASÍLIA - O número de pedidos de seguro-desemprego chegou a 653.160 em junho, uma queda de 32% em relação a maio, quando foram registrados 960.309 requerimentos. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, 9, pelo Ministério da Economia, os pedidos do beneficio feitos no mês passado representam um aumento de 28,4%, quando comparados com junho de 2019.

Segundo os dados, os três Estados com maior quantidade de requerimentos foram São Paulo (199.066), Minas Gerais (70.333) e Rio de Janeiro (52.163). Por setor, os pedidos se distribuíram entre serviços (41,7%), comércio (25,4%), indústria (18,7%), construção (10,1%) e agropecuária (4,1%).

Do total de pedidos de junho, 39,6% foram feitos por mulheres e 60,4%, por homens. A faixa etária que concentrou a maior proporção de requerentes foi de 30 a 39 anos, com 32,1% do total. Sobre a escolaridade, 59,9% dos solicitantes têm ensino médio completo.

A Economia mostra ainda que, no acumulado do ano, de janeiro a junho, foram contabilizados 3.950.606 pedidos de seguro-desemprego, o que equivale a uma alta de 14,8% em comparação com o acumulado no mesmo período de 2019 (3.442.780).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.