Pela 1ª vez, analistas vêem IPCA acima de 6% em 2008

Expectativa para índice oficial de inflação sobe pela 13.ª semana seguida

Fernando Nakagawa, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2008 | 00h00

As projeções para a inflação em 2008 não param de subir e a aposta dos analistas se aproxima cada vez mais do teto da meta para o ano. A pesquisa semanal do Banco Central (BC) com analistas mostra que a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano subiu de 5,80% para 6,08%. Essa foi a 13ª semana de elevação seguida, e a primeira vez que o número supera os 6%. A meta do País é de 4,5% para o ano, com margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. O economista-chefe do Banco Schahin, Silvio Campos Neto, disse que a subida reflete o aumento dos preços em ritmo mais forte que o esperado inicialmente. "A tendência de alta ainda não foi interrompida. É preciso ver os números de junho e julho para ver se o IPCA deve ficar dentro na meta ou se pode superar os 6,50%." Veja especial sobre a crise nos preços dos alimentos ao redor do mundo Entenda os principais índices utilizados para medir a inflação no BrasilSegundo ele, o foco dos analistas vai continuar sobre os alimentos - principal fonte de pressão nos últimos meses. Por entrar em período de entressafra, a carne deve ter novos aumentos nas próximas semanas. "Também é preciso observar os grãos, como arroz e feijão, e produtos in natura, como o leite", afirmou o economista.O alerta com a inflação também aparece em outros indicadores. Para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), a projeção saltou de 9,96% para 11,02% em 2008. O aumento reflete, principalmente, o peso dos produtos agrícolas e industriais no atacado.Na semana passada, as estimativas para o IGP-M já haviam superado os dois dígitos (exatamente 10%). Nas projeções desta semana, a expectativa avançou para 10,36%.Além do risco de a inflação de 2008 superar a meta, o mercado continua elevando as apostas para o IPCA para o próximo ano. Segundo a pesquisa Focus, a expectativa subiu de 4,63% para 4,78%, segunda alta seguida.Apesar do risco para a inflação, o mercado manteve a expectativa de que o juro básico da economia deve encerrar o ano em 14,25%, o que indica aumento de dois pontos porcentuais até dezembro.Para 2009, porém, analistas estão mais pessimistas com o eventual desaperto monetário e a estimativa para o juro no fim do próximo ano subiu de 12,75% para 13%. Assim, o juro cairia apenas 1,25 ponto no decorrer de 2009, contra aposta de 1,50 ponto na semana passada.A outra preocupação dos analistas para 2009 mora nas tarifas públicas, os chamados preços administrados. O mercado tem elevado a previsão de aumento desses preços e nessa semana a expectativa passou de 4,68% para 4,80%. O aumento é resultado da disparada dos IGPs, índices que reajustam a maioria das contas, como eletricidade e telefonia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.