Pela 11ª vez seguida, economistas diminuem projeção de crescimento do PIB em 2014

Boletim Focus mostra que agora PIB deve subir 0,81%; após inflação fraca de julho, projeção para o IPCA caiu para 6,26%

Célia Froufe, Agência Estado

11 de agosto de 2014 | 08h40

BRASÍLIA - A economia brasileira crescerá menos do que o previsto em 2014, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado pelo Banco Central. Pela pesquisa, a mediana das estimativas passou de 0,86% para 0,81%. Há quatro semanas, a expectativa era de 1,05%. Para 2015, a estimativa de expansão também recuou, e de forma mais drástica, passando de 1,50% para 1,20%. Um mês atrás, a mediana estava em 1,50%.
A expectativa para o fraco crescimento é explicado pelas previsões negativas do mercado para o setor industrial. Para 2014, a mediana das estimativas seguiu com a perspectiva de uma retração de 1,53%. Para 2015, porém, a previsão segue em alta de 1,70%. Quatro semanas antes, a Focus apontava estimativa de queda de 0,90% para 2014 e alta de 1,80% em 2015 para o setor.
Inflação menor. Logo após a divulgação do IPCA de julho (0,01%) abaixo das previsões do mercado financeiro (0,03% a 0,17%), o Relatório de Mercado Focus revelou que a projeção para o indicador de 2014 caiu de 6,39% para 6,26%. Há quatro semanas, a estimativa era de 6,48%. Esta é a quarta semana consecutiva em que há diminuição das previsões. 
Já para 2015, a mediana das estimativas subiu de uma semana para outra, passando de 6,24% para 6,25%. Um mês antes, a expectativa mediana estava em 6,10%. A previsão suavizada para o IPCA para os 12 meses à frente aumentou de 6,03% para 6,19%. Há quatro semanas estava em 5,92%. 
Para 2015, a previsão mediana dos cinco analistas caiu de 6,75% para 6,48%. Quatro semanas atrás, o grupo previa taxa de 6,51% para 2014 e de 6,75% para 2015. Para o curto prazo, a mediana das estimativas para o IPCA de agosto caiu de 0,26% para 0,25%. Já para setembro, o ponto central da pesquisa desviou de 0,39% para 0,40%. 
Juro. Os economistas consultados pelo Banco Central mantiveram a previsão para a taxa Selic no fim de 2014 em 11% ao ano pela décima semana seguida. Já para 2015, a mediana ficou estável em 12% pela décima primeira semana consecutiva. 
A taxa básica de juros está em 11% ao ano desde a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que ocorreu em 27 e 28 de maio. O próximo encontro da diretoria colegiada do BC será nos dias 02 e 03 de setembro. 
Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoPIBcrescimentoFocus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.