Pelo segundo mês, Caixa lidera ranking de reclamações do Banco Central; veja lista

Na passagem de dezembro para janeiro houve crescimento do índice de queixas sobre serviços da Caixa

Célia Froufe, O Estado de S. Paulo

19 Fevereiro 2015 | 12h39

A Caixa Econômica Federal voltou a liderar, pelo segundo mês consecutivo, a lista formulada pelo Banco Central (BC) de instituições que receberam o maior volume de reclamações sobre os serviços em relação ao número total de clientes.

De dezembro para janeiro aumentou o índice da instituição estatal de 10,84 pontos para 12,78 pontos, de acordo com o ranking elaborado pelo Banco Central. A Caixa, que tem pouco mais de 74,5 milhões de clientes, recebeu 953 críticas em janeiro consideradas procedentes pela autarquia.

Em novembro, a Caixa estava na terceira posição do ranking do Banco Central, com 8,42 pontos. Todas as instituições são avaliadas pelo BC pelo seu conglomerado.

A maior quantidade de queixas contra a Caixa voltou a ser no quesito "irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços". O segundo ponto que mais deixou os clientes irritados foi o débito em conta de depósito não autorizado pelo cliente.

A segunda instituição entre as que possuem mais clientes com o maior índice em janeiro, de 10,99 pontos, foi o HSBC. O banco de origem inglesa, que tem quase 10,2 milhões de clientes, apareceu na quarta posição no mês anterior.

Já o Santander continuou na terceira posição de dezembro de 2014 para o mês passado. O banco espanhol recebeu "nota" 7,44, menor do que a 9,54 vista na edição anterior. Foram 234 queixas consideradas procedentes pelo BC. O volume de clientes da instituição no mês passado era de 31,4 milhões.

Na quarta posição, ficou o Bradesco, com índice de 7,22 e 541 críticas - o banco detém 74,9 milhões de clientes. A instituição estava na quinta posição em dezembro. Já o Banrisul, que possui quase 3,9 milhões de clientes, ocupou o quinto lugar, com 25 pontos. Isso levou o índice da instituição a 6,42 pontos em janeiro.

BMG. De julho até novembro o BMG foi o banco com maior índice de reclamações. Mas o BMG deixou de fazer parte do ranking principal do BC porque sua carteira diminuiu nos últimos meses e o banco passou a ter menos de 2 milhões de clientes.

Pela nova metodologia do Banco Central, usada desde julho do ano passado, são avaliadas apenas instituições que possuem mais de dois milhões de clientes - até então, a amostragem era de 1 milhão de clientes.

O índice de cada instituição é formado a partir do volume das reclamações, que é dividido pelo número de clientes e multiplicado por 1 milhão. Antes, a multiplicação era por 100 mil. O BMG agora foi para o ranking das instituições com menos de 2 milhões de clientes. Lá, ele está em sexto lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.