finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Pensão maior que o mínimo tem reajuste de 7,66%

As aposentadorias e pensões com valor acima de um salário mínimo, pagas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), terão em junho um aumento de 7,66%. Com o reajuste, que só cairá no bolso do aposentado no mês de julho, o teto do salário de contribuição e de benefícios da Previdência Social passará dos atuais R$ 1.328,25 para R$ 1.430,00 a partir de hoje. O decreto presidencial e a portaria do ministério da Previdência Social sobre o reajuste deverão estar publicados hoje no Diário Oficial. Os benefícios equivalentes ao salário mínimo já foram reajustados nomês de abril (pagamento em maio). Faltava o reajuste dos demais benefícios que, por lei, deve ocorrer no mês de junho de cada ano, sempre por um índice de preço. O contribuinte autônomo, que paga a Previdência Social por carnê, deve ficar atento. No mês de junho elepagará pela teto antigo, pois o mês de referência para o pagamento é maio. Apenas no mês de julho é que ele deverá corrigir a contribuição, se pagar pelo teto, pois o mês de referência para o pagamento é junho. A Previdência explicou que o índice utilizado para calcular o reajuste dos benefícios foi o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), por refletir o poder de compra de uma família que ganhe entre um e oito salários mínimos, o que corresponde à maioria dos beneficiários da Previdência Social. A previdência avisa que, para os benefícios concedidos a partir de 1º de julho de 2000, ou seja, para quem recebe há menos de um ano, o índice é proporcional.

Agencia Estado,

01 de junho de 2001 | 08h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.