Pepsi tem queda de 43% no lucro do último trimestre de 2008

Foi o primeiro ano em que se observou uma queda anual no volume de vendas dos produtos nos EUA

AP e Efe,

13 de fevereiro de 2009 | 16h40

A PepsiCo Inc, companhia multinacional fabricante de lanches e refrigerantes, disse nesta sexta-feira, 13, que seu lucro no quarto trimestre caiu 43% com o fortalecimento do dólar, levando a grandes encargos de reestruturação. No entanto, seus resultados ajustados foram de acordo com as expectativas dos analistas. 2008 foi um ano "extremamente difícil", segundo a firma, e o primeiro no qual observa uma queda anual no volume de vendas dos produtos nos Estados Unidos. A segunda maior fabricante de bebidas do mundo depois da Coca-Cola Co lucrou US$719 milhões, ou 46 centavos por ação, caindo de US$1,26 bilhão, ou 77 centavos por ação, no ano anterior.  "A agilidade operacional da PepsiCo e sua disciplinada execução deram sólidos resultados em um ano extremamente difícil", assegurou a presidente e conselheira delegada da companhia, Indra Nooyi, ao apresentar os resultados. Excluindo reestruturação e outros itens ocasionais, a fabricante da Pepsi, Gatorade e Tropicana lucrou US1,39 bilhão, ou 88 centavos por ação. Isso atingiu as expectativas dos analistas consultados pela Thomson Reuters. PepsiCo, que é dona do Frito-Lay, que fabrica lanches como o Doritos, disse que as receitas subiram 3% para US$12,73 bilhões de US$12,35 bilhões no ano anterior. Analistas tinham previsto uma receita de US$12,8 bilhões.  Como outras fabricantes de produtos alimentícios, a PepsiCo e Coca-Cola têm lutado com o crescente aumento do valor do dólar em relação a outras moedas. Companhias que fazem negócios significativos com outros países sofrem quando o dólar se fortalece porque suas vendas no exterior acabam se transformando em poucos dólares.  O dólar mais forte prejudicou os ganhos trimestrais na Purchase, empresa de Nova York, em 5 centavos por ação.  Se o dólar mantiver sua força atual, o lucro ajustado pode ficar oito pontos percentuais mais baixo em 2009, prevê a PepsiCo. Mas assumindo que as taxas das moedas de igualem àquelas do ano passado, a companhia espera crescimento médio a alto de um dígito no lucro e na receita em 2009. PepsiCo prevê que a primeira metade do ano, especialmente o primeiro trimestre, terão as piores comparações com anos anteriores devido ao custo das commodities e ao dólar forte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.