Percentual de mistura de álcool deve voltar para 25% em maio

O governo federal deverá aumentar o percentual de mistura do álcool anidro à gasolina de 20% para 25% já em maio, um mês antes do previsto. A garantia de que haverá o produto suficiente para suprir essa diferença já foi dada pelos produtores. O índice de mistura foi reduzido de 25% para 20% em 1º de fevereiro deste ano, como parte do acordo entre o setor e o governo federal para evitar o desabastecimento do produto. Ainda segundo o acordo, o percentual retornaria ao nível anterior em 1º de junho, quando se previa que produção estivesse normalizada. Só que, com a queda no consumo de 17% em média, a antecipação do início da produção de álcool em um mês, de maio para abril, e o comprometimento de se produzir 1,5 bilhão de litros a mais na safra 2003/2004, os estoques estarão normalizados e a produção garantida em 1º de maio. "Há uma preocupação muito grande, principalmente da ministra Marina Silva (Meio Ambiente), com a redução no percentual do álcool anidro à gasolina, já que a poluição aumentou. Mas, como o estoque e a produção estarão regularizados no final de abril, o setor garante que estará pronto para que o percentual volte aos 25% na primeira quinzena de maio, sem que haja o risco de desabastecimento", afirmou João Carlos Figueiredo Ferraz, conselheiro da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica) e presidente da Crystalsev, corretora que comercializa a produção de nove usinas paulistas. O sinal verde para que o governo volte a aumentar o percentual do álcool anidro misturado à gasolina foi dado anteontem pelo também conselheiro da Única, Maurílio Biagi Filho, membro do Conselho do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, durante a reunião do órgão em Brasília. "Eu falei com ministros, principalmente com o (Antônio) Palocci e garanti que a ministra Marina Silva e que o próprio presidente Lula podem ficar despreocupados, já que o setor está pronto para que, se o governo quiser, a mistura volte aos 25%", disse o porta-voz dos usineiros junto ao governo federal. Com o aumento de cinco pontos percentuais na mistura álcool anidro-gasolina, estima-se que o consumo cresça 100 milhões de litros ao mês, 12,5% a mais do que os 800 milhões, a média nos últimos dois meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.