Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Perdas com crise chegam a U$ 5 tri, calcula Fórum Mundial

Encontro de líderes em janeiro, terá outro tom, já visto até no nome do evento: 'Moldando o Mundo Pós-Crise'

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

28 de novembro de 2008 | 17h06

O mundo já perdeu US$ 5 trilhões com a crise financeira e econômica. O alerta é do presidente do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, que se prepara para receber em janeiro líderes de todo o mundo em Davos, na Suíça. Mas o tradicional encontro, marcado pelo glamour e luxo, deve ter outro tom. A crise atingiu muitas das empresas que patrocinavam o evento e várias personalidades que tinham status de estrelas hoje estão na lista dos suspeitos de terem gerado a atual crise financeira.  Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise   Schwab quer, então, transformar Davos em um evento para pensar a nova fase do mundo. Não por acaso, a mutação é vista até mesmo no nome do evento na luxuosa estação de esqui dos Alpes: "Moldando o Mundo Pós-Crise". "Até agora, cerca de US$ 5 trilhões já foram perdidos com a crise financeira e agora precisam ser recuperados", afirmou Schwab. O Fórum insiste que previu que as finanças internacionais corriam sérios riscos em suas avaliações feitas no início de 2008.  Mas o mentor do evento, que já ocorre há 39 anos, garantiu em entrevistas nos últimos dias na Europa que não está "dramaticamente pessimista" em relação aos próximos meses, "Sou um pessimista realista", afirmou Schwab. Para ele, a crise abre a oportunidades para que haja uma nova onda de investimentos em tecnologia e para modificar o ambiente.  Praticamente todos os institutos de pesquisa no mundo e mesmo o Fundo Monetário Internacional (FMI) estão revendo para baixo as taxas de crescimento para o mundo em 2009. O Fórum ainda quer transformar Davos em uma oportunidade para que os líderes discutam como fazer para implementar os planos elaborados na cúpula de Washington há 15 dias entre as 20 maiores economia do mundo.Davos indica que receberá em janeiro um número recorde de líderes de todo o mundo. O discurso de abertura será dado pelo primeiro-ministro russo, Vladimir Putin. Para Schwab, esse será o Fórum mais importante já organizado em todas as edições de Davos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.