Perdas com o dólar não serão parceladas, diz CVM

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, descartou hoje a possibilidade da autarquia permitir um parcelamento das perdas cambiais obtidas este ano com a forte alta da moeda norte-americana. "Não estamos estudando isso", afirmou o presidente à Agência Estado.Em 2002, o dólar já subiu 50%, sendo que apenas em julho a desvalorização é de 23%. Segundo Cantidiano, essa oscilação é momentânea e não há porque o governo permitir novo diferimento do câmbio.Em setembro de 2001, a CVM permitiu que as empresas de capital aberto diluíssem por até quatro anos as perdas com a variação do dólar no balanço do terceiro trimestre e do ano fechado de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.