Perdas da United Airlines aumentam 1,3% no 1º trimestre

A corporação UAL, matriz da United Airlines, registrou perda líquida de US$ 306 milhões no primeiro trimestre do 2006. Apesar do déficit, o resultado significa uma alta de 1,3% em comparação com as perdas de US$ 302 milhões do mesmo período do ano anterior. A companhia aérea, a segunda maior dos Estados Unidos, saiu em 1º de fevereiro do capítulo 11 da Lei de Falência dos Estados Unidos, que ampara as empresas frente aos investidores enquanto elaboram um plano de reorganização sob supervisão judicial. Considerando apenas os dois meses de atividade, já fora do capítulo 11, a perda líquida seria de US$ 223 milhões (US$ 1,95 por ação).Incluindo verbas extraordinárias associadas ao plano de reorganização da empresa, a companhia teria fechado o trimestre com ganho de US$ 22,628 bilhões, em comparação à perda de US$ 1,070 bilhão (US$ 9,23 por ação) no mesmo período de 2005.A receita total aumentou 14% e chegou a US$ 4,470 bilhões, frente aos US$ 3,920 bilhões no ano anterior. A companhia aérea ressaltou, em comunicado, que a melhora na receita contribuiu para compensar os altos custos do combustível.A empresa tem em andamento um plano plurianual, pelo qual pretende reduzir em US$ 300 milhões seus custos durante este ano e em outros US$ 400 milhões durante 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.