Perdas mundiais da crise atingirão US$1,4 tri, Goldman Sachs

Desse total, segundo economista da instituição, US$ 800 bilhões já foram realizados até o momento

REUTERS

10 de novembro de 2008 | 15h02

As perdas em todo mundo com a crise de crédito atingirão 1,4 trilhão de dólares, dos quais 800 bilhões de dólares já foram realizadas até o momento, afirmou Jan Hatzis, economista-chefe do Goldman Sachs nos Estados Unidos, nesta segunda-feira.     Veja também: Presidente do BCE afirma que crise ainda está em andamento Presidente da China diz que pretende cooperar com Obama Saiba os assuntos que serão discutidos no G-20 De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise Dicionário da crise  Isto significa que mais problemas virão tanto para o setor bancário quanto para a economia como um todo, afirmou Hatzis, acrescentando que mais estímulos fiscais serão necessários para evitar uma desaceleração ainda mais forte. "Isto pede uma enorme quantidade de estímulo econômico", afirmou Hatzius em uma conferência do setor financeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
CRISEPERDASGOLDMAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.