coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Perdigão dá troco na Sadia e estuda fusão com Eleva

A Perdigão, segunda maior empresa do setor de carnes de frango e suína do Brasil, e a Eleva Alimentos (antiga Avipal), anunciaram ontem que estudam a fusão de suas operações. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), as empresa dizem que "serão informados ao mercado e aos seus respectivos acionistas a estrutura societária e a operacional a ser implementada pelas partes, bem como os demais termos e condições da operação, tão logo tenham sido definidos".Na prática, a Perdigão deve assumir o controle da Eleva. A operação deve ser feita basicamente com troca de ações, com Shan Bam Chun, presidente do conselho de administração e principal acionista da Eleva, tornando-se acionista minoritário da Perdigão. O valor de mercado da Eleva está hoje entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões.Com a operação, a Perdigão deve ultrapassar a rival Sadia - que tentou comprá-la no ano passado - em receita. O faturamento combinado da Perdigão e da Eleva no ano passado foi de R$ 7,1 bilhões, enquanto a Sadia teve uma receita líquida de R$ 6,8 bilhões. A Sadia chegou a oferecer R$ 3,88 bilhões pelo controle da Perdigão, mas a oferta foi recusada pelos fundos de pensão, principais acionistas. A Eleva que comercializa carne de frango e suína, também é dona de marcas importantes de leite, como a Elegê, entre outros produtos lácteos. A empresa foi fundada em 1959, no Rio Grande do Sul. De acordo com informações do site da companhia, ela emprega hoje mais de 9 mil funcionários diretos e possui uma rede de quase 20 mil produtores de leite e 2,5 mil produtores integrados de frango e suínos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

19 de outubro de 2007 | 08h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.