Perdigão estuda expansão na Ásia e América do Sul

Empresa anunciou um lucro de R$ 223,7 milhões no acumulado do ano, um crescimento de 3.941%

Natalia Gómez, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

A Perdigão anunciou ontem que planeja expandir suas operações internacionais. A companhia, que já anunciou este ano a compra da holandesa Plusfood - fabricante de produtos processados à base de carne de frango e de bovinos -, disse que planeja instalar novas unidades de processamento de carne na Ásia e na América do Sul.O objetivo do projeto, segundo o diretor de relações com investidores da companhia, Wang Wei Chang, é melhorar a operação da companhia em novos mercados e aprimorar a distribuição. ''''Vamos desenvolver produtos específicos para o público estrangeiro'''', disse. Segundo ele, ainda não há definições sobre os países que receberão os investimentos nem o prazo em que isso pode ocorrer.Os planos de expansão da Perdigão chegam em um momento bastante positivo para a empresa. No terceiro trimestre, a companhia registrou um lucro líquido de R$ 90,2 milhões, um crescimento de 320% na comparação com o mesmo período de 2006. No acumulado de janeiro a setembro, o lucro foi de R$ 223,7 milhões, um crescimento de 3.941% na mesma comparação - o ganho em 2006 foi de R$ 5,5 milhões. A receita líquida no terceiro trimestre foi de R$ 1,6 bilhão, um crescimento de 23,7%. No acumulado do ano, a receita chega a R$ 4,7 bilhões, 31% maior que a de 2006.Boa parte desses bons resultados vem das exportações. Assim como a concorrente Sadia, a Perdigão reduziu as vendas de aves no mercado interno por causa da melhora dos preços no exterior. No terceiro trimestre, o volume de vendas de carne in natura caiu 28% no Brasil. ''''Isso era esperado e foi intencional, porque as margens no mercado externo são maiores'''', disse Chang. No ano passado, a empresa foi muito impactada pelos casos de gripe aviária no mundo, que reduziram a demanda por aves no exterior e geraram um excedente de oferta no Brasil.A Perdigão também confirmou ontem que pretende instalar uma unidade em Castro, no Paraná. Hoje, a empresa já opera em Carambeí, município vizinho, com um incubatório que abastece os produtores integrados do Estado. O diretor de Relações Institucionais da empresa, Ricardo Menezes, disse que a unidade poderá abrigar diferentes atividades, como processamento de frango, carne bovina e até mesmo lácteos.Chang reforçou que a estratégia da Perdigão é crescer por meio da diversificação de seus negócios e pela internacionalização. Desde o ano passado, a empresa caminhou a passos largos nos segmentos de lácteos, carne bovina, margarina e até pet food. Segundo ele, até 2011, o foco da diversificação será restrito a estes segmentos. A possível fusão com a concorrente Eleva, anunciada nos últimos dias, ajudará a companhia nesse sentido, já que a Eleva tem uma forte atuação em lácteos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.