Coluna

Fabrizio Gueratto: como o investidor pode recuperar suas perdas no IRB Brasil

Perdigão pode dar férias a mais 600 funcionários, diz sindicato

Recesso daria tempo para recuperação de área atingida por incêndio em Rio Verde; outros 630 já estão em casa

Tatiana Freitas, Agência Estado

31 de março de 2009 | 17h57

A Perdigão pode conceder férias a mais 600 funcionários da unidade de Rio Verde (GO), após o término do período de 30 dias de suspensão das atividades ao qual foram submetidos outros 630 trabalhadores da fábrica, segundo informações do presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação e Indústria de Carnes de Derivados de Rio Verde (Stiarv), Umberson de Almeida. As férias foram concedidas aos empregados da área de industrializados devido ao incêndio que atingiu a unidade no último dia 21. Até o momento, no entanto, a Perdigão informou apenas, por meio de sua assessoria de imprensa, que 630 colaboradores entraram em férias pelo prazo de um mês. A Perdigão tem mais de oito mil funcionários em Rio Verde.

 

Veja também:

linkNão há interesse em falar sobre Sadia agora, afirma Perdigão

linkFurlan diz que negociações entre Sadia e Perdigão continuam

link Preço das ações é o entrave à fusão entre Perdigão e Sadia

link Lucro da Perdigão cai 83% em 2008 em relação ao ano anterior

 

O presidente do Stiarv disse que esteve reunido na segunda-feira com membros da direção da Perdigão. "Ficou acertado que, assim que os 630 retornassem, mais 600 sairiam para dar tempo de reconstruir a área de industrializados, que foi uma das mais atingidas pelo fogo", disse Almeida. O incêndio teve início na área de processados da unidade, mas, segundo a Perdigão, a parte do complexo mais afetada foi o centro de distribuição. Rio Verde é responsável por 12% da produção total da empresa.

 

Na semana passada, em entrevista após o incêndio e apresentação dos resultados referentes ao quarto trimestre de 2008, o presidente da Perdigão, José Antonio Fay, disse que "boa parte" da produção de processados na unidade deveria ser retomada até abril. Na última terça-feira, foi retomado o abate de aves e suínos e, para compensar a paralisação momentânea na produção de industrializados daquela unidade, a parada técnica na produção que estava programada para a unidade de Capinzal (SC), para ajuste de estoques, foi cancelada e outras fábricas podem ter acréscimo de um turno de produção.

Tudo o que sabemos sobre:
Perdigãoincêndioempresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.