Perfil da dívida interna impede crescimento do Brasil, diz FT

O jornal britânico Financial Times diz nesta quarta-feira que o perfil da dívida interna brasileira impede que o Banco Central reduza as taxas de juros e, por conseqüência, que o País cresça. Ao contrário da dívida externa, afirma o diário, o Tesouro não conseguiu ligar a dívida interna a juros fixos. Isso acontece, segundo o jornal, porque os investidores estariam cientes de um possível risco inflacionário. Aceitar os juros fixos seria um sinal de confiança que eles ainda não estariam dispostos a dar. O Financial Times diz que outro motivo para a desconfiança é o alto gasto com seguridade social (que inclui Previdência, Saúde e Assistência Social) - cerca de 42% do Orçamento.Essa porcentagem é bem maior do que a destinada por qualquer outro governo da região, e o Brasil não daria sinais de que pretende combater o problema de frente, preferindo tomar "medidas paliativas", como mudanças no gerenciamento e fiscalização. O artigo conclui que esses investidores podem levar em conta os desequilíbrios fiscais do país "quando forem reavaliar onde colocam seu dinheiro".

Agencia Estado,

24 de maio de 2006 | 09h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.