Perfil do investidor em mineração no Brasil se diversifica

O grupo casaque ENRC é mais um exemplo da diversificação dos investimentos estrangeiros em mineração e siderurgia no Brasil. Assim como uma "onda" de investimentos vindos da China nos últimos meses - com empresas como a Wisco e a ECE -, os novos nomes que surgem neste cenário de aquecimento são exemplos do "descobrimento" do Brasil por novos grupos.

, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

De acordo com o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), a previsão de investimentos no setor é de US$ 62 bilhões para os próximos cinco anos. "Menos de 20% do território nacional têm levantamento geológico adequado (sobre a presença de minério). Existe espaço para que esse crescimento seja sustentável", diz Paulo Camillo Penna, presidente do Ibram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.