Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Período de reserva de ações da Eletrobras com recurso do FGTS começa no dia 3 de junho

Valor do investimento parte de R$ 200, dentro de fundos de ações; no total, o valor reservado para as pessoas físicas dentro da privatização da estatal de energia é de até R$ 6 bilhões

Cynthia Decloedt, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2022 | 12h16

A oferta de ações da Eletrobras terá um valor máximo de R$ 6 bilhões destinado aos investidores pessoa física que queiram utilizar recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para adquirir ações da companhia de energia elétrica, de acordo com o prospecto da operação apresentado nesta sexta-feira à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O período de reservas para o varejo, em ambas modalidades, vai de 3 a 9 de junho. O varejo tem prioridade na oferta em relação aos investidores institucionais. Ainda antes do varejo, atuais acionistas, empregados e aposentados da Eletrobras poderão reservar seus papéis da companhia.

A aquisição será feita por meio de fundos chamados FMP-FGTS, que estão sendo colocados à disposição das pessoas físicas por meio de gestoras e bancos. O valor mínimo para as cotas dos fundos que usam o FGTS é de R$ 200.

O investidor do varejo poderá ingressar na oferta também por meio da aquisição direta de ações. O valor mínimo de alocação, nesse caso, por investidor é de R$ 1 mil, mas as instituições financeiras terão liberdade para aceitar valores abaixo desse patamar.

Migração de papéis da Petrobras e da Vale

Há dois modelos de fundos: o primeiro é os que simplesmente usam recursos hoje nas contas do FGTS para adquirir as ações da Eletrobras; o segundo é aquele que permite a migração de posições em ações da Petrobras e Vale, também adquiridas com recursos do FGTS, para a Eletrobras.

Renda fixa x renda variável

Vale sempre lembrar que o investidor pessoa física, ao usar o recurso do FGTS e aplicá-lo em ações da Eletrobras, passa a fazer um investimento em renda variável, e não em renda fixa, como é o caso do Fundo, que tem rentabilidade pré-fixada. Em investimentos em ações, o que determina o rendimento é o desempenho do papel, que pode ser positivo ou negativo. 

Segurando os papéis

Segundo as regras para a compra de ações com recursos dos FGTS, quem decidir usar parte do Fundo para esse fim terá de manter, por pelo menos 12 meses, os papéis em sua carteira. Depois disso, têm a opção de vender as ações – mas os recursos não podem ser sacados. Eles voltam para o saldo do Fundo, e passam a ser remunerados pelas regras. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.