Permanece clima de otimismo nos mercados

Sem novidades na Argentina, os mercados permaneceram otimistas na primeira parte do dia. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) começou o dia em alta expressiva e há pouco estava em alta de 1,59%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 20,010% ao ano, frente a 19,780% ao ano na sexta-feira. O dólar comercial está cotado a R$ 2,4890 na ponta de venda dos negócios, com queda de 0,60% em relação aos últimos negócios de sexta-feira.Na Bolsa, os operadores se mostravam animados com a notícia dada pelo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Francisco Gros, de que no prazo de 10 a 15 dias deve ser anunciado o reajuste de tarifas para geradoras e distribuidoras. Para compensar as perdas com o racionamento, as tarifas terão aumento por dois a três anos, o que deve beneficiar as ações do setor. Na melhora para as perspectivas para o setor, os analistas também levaram em conta a entrevista do presidente do Banco Central (BC), Armínio Fraga, na qual ele afirma que as tarifas de energia podem subir mais de 20% em 2002. As notícias favoreceram a alta dos papéis do setor. Exemplo disso são as ações ordinárias da Light que, no início da tarde, apresentavam alta de 10,81%. A alta das ações do setor de energia favoreceu a subida do Ibovespa- Índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bovespa -, já que o índice é composto também por papéis deste segmento.O mercado também gostou do resultado das contas externas referentes a outubro, especialmente o de investimentos diretos estrangeiros que deverá fechar o ano em US$ 19 bilhões, segundo o Banco Central.No acumulado até outubro, o saldo de investimento direto atingiu US$ 16,597 bilhões e em novembro, até o dia de hoje, soma US$ 1,4 bilhão. Para o próximo ano, a expectativa é de que os investimentos fiquem em US$ 15 bilhões. Apesar de inferior ao deste ano, acredita-se que estes recursos sejam suficientes para fechar as contas externas em 2002, caso o País consiga atingir um saldo positivo na balança comercial em torno de US$ 6 bilhões, maior do que a perspectiva para este ano - US$ 1,5 bilhão. Para o mercado cambial, esta é uma notícia positiva, pois diminui as pressões de alta sobre o dólar.Mercados InternacionaisO índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires está em alta 4,13%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com queda de 0,43%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 0,58%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

26 de novembro de 2001 | 15h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.