Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Perspectiva negativa do rating já contempla superávit abaixo da meta, diz Moody's

Comentário do vice-presidente da agência de classificação de risco acontece em meio à expectativa de que o governo pode reduzir a meta do superávit primário para 0,6%

Ricardo Leopoldo, Agência Estado

23 de junho de 2015 | 15h46

SÃO PAULO - O vice-presidente da Moody's, Mauro Leos, comentou ao Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, que uma diminuição da meta do superávit primário para este ano "somente confirmará a nossa expectativa de enfraquecimento da força financeira, o que põe pressão adicional no rating" do Brasil. Ele manifestou que a perspectiva negativa do País perante a agência de rating, cuja nota soberana é Baa2, "já contempla um superávit primário vindo abaixo da meta" em 2015. 

No ambiente político em Brasília, circulam ponderações de que a meta de superávit primário, equivalente a 1,13% do PIB, baixará para 0,6%. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deu aval para que parlamentares da base aliada deflagrassem a articulação política de mudança da meta de superávit primário das contas públicas. Levy indicou a senadores que concorda com uma redução da meta do atual 1,1% para 0,6%.

Leos destacou que "é importante notar que o objetivo do resultado primário está relacionado com a sustentabilidade da dívida." Ele refere-se à "capacidade das autoridades em atender as condições requeridas para viabilizar o declínio da dívida do governo" ao longo do tempo. "Desta forma, o resultado primário precisa ser associado com as projeções de crescimento do PIB e com o nível previsto de taxas de juros."

Por que estamos falando de crise no Brasil?

Tudo o que sabemos sobre:
economiameta fiscalratingMoody's

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.