Perspectiva para inflação em 2004 recua, apura BC

As projeções de mercado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2004 recuaram de 6,02% para 6% na pesquisa semanal feita pelo Banco Central (BC) com um grupo de instituições financeiras. O recuo nas perspectivas dos analistas foi apurado pela pesquisa na mesma semana em que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu manter a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 16,50% ao ano e em que houve os primeiros desdobramentos da crise política envolvendo o nome do ex-subchefe de Assuntos Parlamentares do Palácio do Planalto, Waldomiro Diniz. A redução, entretanto, não foi suficiente para colocar as estimativas de mercado abaixo dos 5,99% projetados em pesquisa divulgada há quatro semanas. As previsões de IPCA para 2005 foram mantidas pela trigésima terceira vez em 5%. A pesquisa divulgada hoje pelo BC identificou ainda uma redução das previsões de IPCA em 12 meses à frente de 5,69% para 5,64%, ficando abaixo dos 5,99% de há quatro semanas. As projeções de IPCA para fevereiro e março do corrente ano seguiram a mesma tendência de queda e recuaram de 0,71% para 0,70% no mês em curso e de 0,43% para 0,42% em março. As previsões de reajuste dos preços administrados em 2004 e 2005 permaneceram estáveis na mesma pesquisa e ficaram em 7% e 6%, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.