Perto do fechamento, Bolsa recua para patamar mínimo do dia

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) caiu para o patamar mínimo desta sexta-feira, em 28.018 pontos, por volta das 17h40, registrando uma baixa de 1,93%. No mesmo horário, os contratos de juros pós-fixados, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com vencimento em abril, apresentavam taxa de 18,890% ao ano, em baixa em relação ao fechamento de ontem.Os negócios na Bovespa refletem a reação dos investidores à alta dos juros negociados no mercado nos títulos norte-americanos. O Banco Central dos Estados Unidos (Fed) já sinalizou que a economia do País está aquecida, o que coloca em risco o controle da inflação. A instituição, portanto, poderia decidir por uma alta de juros como forma de controlar o consumo e retirar a pressão de alta sobre os preços. Juro mais altos nos Estados Unidos retira a atratividade do investimento em ações, o que inclui o mercado brasileiro.No Brasil, o mercado de juro futuro mostra que os investidores esperam por uma alta na Selic, a taxa básica de juros da economia, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que será realizada na próxima semana. De acordo com a consultoria GRC VISÃO, o resultado do IPCA divulgado hoje - em linha com as projeções - não altera em nada a postura do Copom em relação aos juros.A consultoria reafirmou a expectativa de nova alta dos juros básicos em 0,50 ponto percentual na reunião do Copom, mas acredita que essa seja a última elevação do processo de ajuste da política monetária empreendido pelo Copom. Hoje, a taxa Selic está em 18,75% ao ano. Hoje, o dólar fechou em R$ 2,7200, no patamar máximo desta sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.