Pescados ficarão 80% mais caros amanhã

Os pescados ficarão até 80% mais caros nas feiras livres de São Paulo a partir de amanhã, a poucos dias da Semana Santa. Inicialmente, os aumentos propostos pelos atacadistas estavam maiores, chegando a 200%. Mas até os cerca de 500 feirantes que comercializam peixes na capital assustaram, e, temendo perder a freguesia, negociaram aumentos menores, ainda que bastante salgados na madrugada de hoje.À 0 hora de hoje ( 03), quando a venda de pescados começou na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na zona Oeste, os aumentos chegavam a até 189% no atacado, devido à proximidade da Semana Santa, quando o consumo de peixe cresce muito. O quilo da sardinha, o peixe mais barato, havia subido de R$ 0,90 para R$ 2,60 (189%), e o da corvina, de R$ 2,50 para R$ 6,00 (140%)."Quando chegaram lá e viram esses aumentos absurdos, os feirantes decidiram não comprar", afirmou Maria de Fátima Almeida Peliocioli, secretária executiva do Sindicato dos Feirantes do Estado de São Paulo. Os feirantes da capital compram pescados diariamente da 0 hora às 4 horas na Ceagesp. A Ceagesp informou, por meio da assessoria de imprensa, que não controla preços, apenas os monitora e faz sugestões aos atacadistas.Apesar de protestos, preços subirão muitoA recusa dos feirantes em comprar, com medo de ficar com a mercadoria encalhada, forçou os atacadistas a negociar. Segundo Maria de Fátima, por volta das 8 horas eles chegaram a um acordo: os preços subirão, porém menos do que os atacadistas queriam. "Ainda assim é um reajuste muito alto", constatou Maria de Fátima.O quilo da sardinha, que era vendido na feira a cerca de R$ 1,50, será vendido a partir de amanhã por R$ 2,70, em média. O preço da corvina passará de R$ 4,00 o quilo para R$ 7,20, em média.A Agência Estado procurou representantes dos atacadistas, mas não os localizou.

Agencia Estado,

03 de abril de 2001 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.