Pesquisa aponta piora da situação financeira do consumidor no RJ

A situação financeira do consumidor da Região Metropolitana do Rio de Janeiro permanece em queda. Segundo pesquisa do Instituto Fecomércio-RJ, em abril, 57,77% dos entrevistados informaram que aumentaram as despesas de subsistência, como alimentação, higiene e limpeza, ante os 56,98% registrados em março.Porém, a quantidade de produtos comprada caiu, segundo 30,16% da amostra - porcentual que ficou estável em relação aos 30,10% de março ?, e se manteve a mesma para 52,28% dos pesquisados, ante o percentual de 51,10% registrado em março. Segundo a pesquisa, aumentou o porcentual de entrevistados que informou que ia fechar o mês de abril com falta de dinheiro para pagar suas despesas, de 29,08% em março para 31,96% em abril.Os consumidores também não estão otimistas para o futuro, segundo a Fecomércio. De acordo com o instituto, aumentou de 17,55% para 19,14% o total de entrevistados com expectativa de piora de sua situação financeira em maio. E subiu de 13,28% para 16,33% o porcentual daqueles que acreditam que a situação também vai estar pior daqui a seis meses.Inadimplência não recuaA pesquisa, chamada de Perfil Econômico do Consumidor, entrevistou 3.256 moradores da Região Metropolitana entre 16 e 26 de abril. Em comunicado, o diretor do Instituto Fecomércio-RJ, Luiz Roberto Cunha, informou ainda que vem aumentando o porcentual de famílias contraindo empréstimos, em financeiras ou bancos, para pagar contas e financiamentos atrasados."E mesmo assim, a inadimplência não está caindo. O novo salário mínimo, que chegará às mãos do consumidor em junho, deve aliviar um pouco esta situação. Mas a previsão é que em maio a situação não apresente melhora para o consumidor", explica.A inadimplência em contas fixas atingiu 25,35% das famílias pesquisadas em abril, ante os 24,12% registrados em março. Em abril, 38,19% dos entrevistados tinham financiamentos, porcentual superior ao de março (37,42%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.