Pesquisa aponta setor eletroeletrônico em recuperação

Os negócios do setor eletroeletrônico cresceram em agosto na comparação com julho, segundo pesquisa mensal da Associação Brasileira da Indústria de Elétrica e Eletrônica (Abinee) com cerca de 40 empresas, a maioria de grande porte. De acordo com o levantamento, os resultados mostram uma retomada das vendas, uma vez que julho foi considerado um mês fraco.No entanto, vendas melhores em agosto não significam que o setor esteja se recuperando: além de as vendas de janeiro a agosto estarem empatadas com as do mesmo período do ano passado, novos projetos industriais estão sendo adiados em virtude das incertezas do quadro político-econômico nacional e internacional, como as oscilações cambiais que pressionam os custos, temor com as ações dos Estados Unidos no Iraque e estagnação da economia mundial.De acordo com a pesquisa, em agosto houve um reaquecimento do mercado de componentes, estimulado pela antecipação de compra dos distribuidores, temerosos de novos aumentos do dólar. Estoques baixos na área de material elétrico de instalação reativaram as vendas e os investimentos em infra-estrutura de energia elétrica continuaram a aquecer o mercado de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.A pesquisa constatou que os projetos de geração hidrelétrica em andamento continuam a influenciar positivamente o setor, mas detectou que a indefinição do preço do gás importado e a incerteza da demanda futura de energia criam dúvidas para os investidores. O levantamento mostrou ainda a boa expectativa das empresas da área de energia quanto aos reflexos que o leilão de oito linhas de transmissão feito em agosto pode ter na entrada de recursos. Na área de telecomunicações, a crise continua, detectou a pesquisa. O que salva a área são as exportações de celulares, em contínuo crescimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.