Pesquisa da ANP aponta redução menor para diesel

A redução do preço óleo diesel na semana que passou, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), não acompanhou o percentual verificado na gasolina. Na média nacional, o preço do diesel caiu apenas 0,3% na semana que passou, chegando a R$ 1,427 o litro, o que representa uma redução acumulada de 0,9% em 30 dias. Desde que a Petrobras anunciou redução do preço do produto em 8,5% na refinaria, o diesel registrou queda de 6,6% na média nacional. Na capital paulista, a queda na semana foi de 1,0 5%, chegando a R$ 1,409 o litro. No acumulado de 30 dias, a redução em São Paulo chega a 1,67%. Se comparado com a última semana de abril, quando houve o anúncio da Petrobras, a queda atinge a 6,44%. No município do Rio, na semana que passou, o diesel registrou alta de 0,57%, passando de R$ 1,403 para R$ 1,411. Nos últimos 30 dias, o combustível acumula queda de 1,1%. Em comparação com a última semana de abril, a queda é de 5,5%. Preço do álcool registra maior quedaO álcool é o combustível que está apresentando a maior queda de preço na pesquisa semanal da Agência Nacional do Petróleo (ANP), devido à entrada da safra da cana-de-açúcar na região Centro-Sul. Na semana que passou, segundo apurou a ANP, a média nacional caiu 2,11%, chegando a R$ 1,33 o litro. Nos últimos 30 dias, o combustível registra redução de 9,5%. Se comparado com a última semana de abril, época em que a safra entrou em seu pico, com todas as usinas do estado de São Paulo já produzindo, a queda foi de 14,85%. No município de São Paulo, a queda tem sido mais acentuada. O preço do álcool caiu na semana que passou 4,14%, chegando a R$ 1,111. Nos últimos 30 dias, a redução chega a 15,9% e se comparado com a última semana de abril, o preço está 21,9% menor. No município do Rio de Janeiro, a queda na semana que passou foi de 2,4%, com o produto chegando a R$ 1,381. Nos últimos 30 dias, a queda no Rio atinge a 11,5%. Desde a última semana de abril, a queda já atinge a 21,9%. O preço do produto ao consumidor final, entretanto, ainda não teve o repasse da queda registrada no preço pago ao produtor de álcool. Segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, o litro do álcool hidratado (que abastece diretamente o tanque do veículo) caiu 32,7% entre a última semana de abril e o dia 20 de junho. Já o álcool anidro, que é adicionado à gasolina na proporção de 25% de um litro, caiu 36,22% no mesmo período. A queda do preço do álcool anidro é atribuída à redução que vem sendo registrada no preço da gasolina no mês de junho.Preço da gasolina continua caindoA gasolina voltou a registrar pequena queda em seu preço médio nacional, também segundo pesquisa da ANP. Na média nacional, a queda beirou 1%, a 0,98% sobre a semana anterior, cotada a R$ 2,01. No acumulado dos últimos 30 dias, o preço da gasolina no País já registra queda de 3,8%. Se comparado à última semana de abril, quando a Petrobras repassou redução de 6,5% no preço do produto na refinaria, a queda no preço nacional do combustível é de 8,4%. No município de São Paulo, a queda no preço da gasolina acompanhou a média nacional, com 0,92% de redução, chegando a R$ 1,925. Em 30 dias, a gasolina em São Paulo já acumula queda de 4,27%. Se comparada com a última semana de abril, a gasolina na capital paulista caiu 8,4%. No município do Rio de Janeiro, a queda da gasolina foi de 1,09%, chegando a R$ 2,073. Nos últimos 30 dias, a redução no Rio chegou a 3,9%. Se comparada com a última semana de abril, entretanto, a gasolina no Rio teve uma queda menor do que a média nacional, atingindo a apenas 6,6% segundo os dados da ANP. Uma das razões apontadas para a redução inferior é que o estado ainda não reviu a base de cálculo da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Apesar de a gasolina no estado estar sendo cotada a uma média de R$ 2,11, a base de cálculo ainda está em R$ 2,27. A base só será reavaliada na próxima reunião do Confaz (Conselho de Política Fazendária) no próximo dia 30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.