Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Pesquisa da Febraban indica crescimento de 3,06% no PIB em 2005

Levantamento realizado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), junto a 50 instituições financeiras, na segunda semana de julho, aponta para um crescimento de 3,06% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2005. De acordo com o estudo, os PIBs agropecuário, industrial e do setor de serviços registrarão alta de 3,29%, 3,7% e 2,49%, respectivamente.A pesquisa de Febraban também mostrou um Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) médio de 5,83%, acima da meta estabelecida pelo Banco Central (BC). A Selic, a taxa básica de juros da economia, em dezembro, segundo as instituições consultadas, deve ficar em 17,91%. Já o risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do país - encerrará o ano em 388,4 pontos base.De acordo com os bancos filiados a Febraban, a taxa de câmbio deve encerrar o ano em R$ 2,58. Já as exportações atingirão US$ 110,95 bilhões, enquanto as importações totalizarão US$ 74,88 bilhões. Com isso, o saldo das transações correntes deve se situar em R$ 9,89 bilhões.No tocante às operações de crédito, os bancos projetam uma alta de 17,93% para a carteira total, sendo que os empréstimos com recursos livres devem subir 21,11% e os que utilizam capital direcionado evoluirão em 13,53%. O destaque deve ficar por conta do crédito destinado as pessoas físicas que, segundo as instituições, aumentará em 24,6%.Para 2006, os bancos ouvidos pela Febraban, estimam um PIB em alta de 3,55%, enquanto a taxa Selic média ficará em 15,72%. A variação projetada para o IPCA, nos próximos doze meses, é de 5,09%.

Agencia Estado,

19 de julho de 2005 | 18h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.