Pesquisa do BC aponta expectativa de inflação maior para 2005

As projeções de mercado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2005 subiram de 5,70% para 5,74% em pesquisa semanal do Banco Central divulgada hoje. O aumento ocorreu após a divulgação da ata conservadora da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que aumentou o juro básico , a Selic, de 17,75% para 18,25% ao ano. Com a elevação, as estimativas de inflação para este ano ficaram ainda mais distantes da meta de inflação, de 5,1%, perseguida pelo Banco Central (BC). Para 2006, as previsões de inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) continuaram estáveis em 5%, porcentual acima do centro da meta de 4,5%, fixado pelo Conselho Monetário Nacional para o próximo ano. As projeções para o reajuste dos preços administrados em 2005, contidas na mesma pesquisa do BC, subiram, por sua vez, de 7% para 7,02%, enquanto as previsões para 2006 ficaram estáveis em 6%.Juros devem subir mais em fevereiroAs previsões de mercado para a taxa de juros de fevereiro subiram de 18,25% para 18,50% ao ano. A elevação também ocorreu após a divulgação da ata do Copom em que o BC acenou com a possibilidade de novas elevações das taxas nos próximos meses. Apesar do aumento, a projeção ainda é mais otimista que as estimativas feitas por alguns analistas de mercado de que os juros subirão mais 0,50 ponto porcentual no próximo mês e passarão de 18,25% para 18,75%. As estimativas de juros para o fim do ano seguiram a mesma tendência de alta e foram elevadas de 16% para 16,50% ao ano. Com isso a previsões de taxa média de juros para este ano aumentou de 17,60% para 17,64% ao ano. Para 2006, as previsões de juros no fim de período permaneceram estáveis em 14,50% ao ano, enquanto as estimativas de taxa média passaram de 15% para 15,25% ao ano.CâmbioAs previsões de mercado para a taxa de câmbio neste mês recuaram de R$ 2,72 para R$ 2,70. A queda ocorreu na mesma semana em que a taxa de câmbio ficou abaixo de R$ 2,65 na última sexta-feira. As estimativas para fevereiro seguiram a mesma tendência de queda e recuaram de R$ 2,74 para R$ 2,72. Apesar disso, as projeções para o câmbio no final do ano permaneceram estáveis em R$ 2,90. As estimativas de câmbio para o fim de 2006, em contrapartida, subiram de R$ 3,08 para R$ 3,09.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.