Pesquisa do BC deverá trazer IPCA mais baixo

A pesquisa Focus, que será divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central, já poderá trazer alguma alteração nas projeções do mercado para a inflação, segundo a maioria das instituições financeiras consultadas pela Agência Estado. Isso porque a semana passada foi recheada de indicadores de preços, com destaque para os IGPs (IGP-DI de fevereiro e primeira prévia do IGP-M de março) e do IPCA mais fraco do que o previsto. A tendência mais esperada pelos economistas é de uma queda nas projeções para o IPCA, principalmente o de curto prazo (março), e uma elevação dos IGPs. O avanço do IGP-M também é certo, na opinião dos analistas do Unibanco. A instituição espera variação de 7,1% para o índice no final do ano e não refez as estimativas para a Focus. O IPCA pode até não mudar agora, na avaliação do banco. Para o economista-chefe do Deutsche Bank, José Faria, que também manteve as projeções, haverá dois movimentos na pesquisa do BC: uma queda nas perspectivas do IPCA e uma elevação nas do IGP-M. O ABN Amro Asset Management não reviu as projeções, mas é um dos que apostam nas alterações. A estimativa de IPCA de 12 meses do ABN é de 5,60% e a anual, de 5,80%, variações próximas ao centro da meta de inflação do BC para este ano, de 5, 5% com margem de 2,5 pontos porcentuais para cima ou para baixo. Marcelo Carvalho, da Itaú Corretora, não espera grandes alterações para a Focus, já que as correções de inflação já vêm ocorrendo, segundo ele, sistematicamente nas últimas divulgações. "Não deve haver quedas muito mais significativas daqui para a frente" , disse. Ele espera ainda uma certa estabilidade nas projeções do IGP-M, com o comportamento do câmbio menos oscilante.

Agencia Estado,

14 Março 2004 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.