Pesquisa indica redução em oferta de crédito

Segundo estudo do BC, instituições financeiras devem reduzir o crédito em praticamente todas as modalidades no terceiro trimestre de 2011

Marcelo Portela, da Agência Estado,

22 de novembro de 2011 | 13h56

Levantamento do Banco Central junto a 46 instituições financeiras indica uma percepção de que a oferta de credito será menor, em praticamente todos os segmentos, no quarto trimestre de 2011, do que antecipavam para o terceiro trimestre na sondagem anterior. O indicador, que mostra uma média da avaliação dos bancos, vai de -2 (percepção de retração forte) a 2 (crescimento forte), sendo que 0 significa expectativa de estabilidade nas condições.

Pela projeção de 22 instituições, responsáveis por 94,1% da carteira de grandes empresas, haverá uma redução na oferta de crédito no quarto trimestre. O índice que mede a oferta neste segmento passou de -0,45 no terceiro trimestre para -0,77 nos últimos três meses do ano. A expectativa é de uma demanda mais fraca, comparada a uma pequena melhora no terceiro trimestre, de 0,36, para -0,14 no quarto trimestre. O índice que mede a perspectiva de aprovação de financiamento também aponta para um cenário mais restritivo, recuando de -0,05 para -0,27.

Já a expectativa para o setor de micro, pequenas e médias empresas, segundo projeção de 40 instituições (90,5% da carteira), é de aumento moderado na demanda por crédito. O índice avançou de 0,50 para 0,73 entre terceiro e quarto trimestre. Mas a oferta de crédito será mais seletiva, com índice passando de -0,38 para -0,70.

No caso do crédito para pessoa física voltado ao consumo, é esperado uma melhora das condições de demanda e na aprovação de financiamentos, mas a oferta de crédito deve diminuir no quarto trimestre mais do que se esperava anteriormente. Segundo projeção de 17 instituições financeiras, responsáveis por 96,6% do total da carteira de credito ao consumo, o índice de oferta passou de -0,29 para -0,35. Já o índice de demanda atingiu 0,35 ante -0,29 no terceiro trimestre, e o de aprovação, alcançou 0,12 no quarto trimestre ante -0,06 no período anterior.

A exceção é o crédito habitacional, que deve continuar mostrando expansão significativa, de acordo com oito instituições consultadas pelo BC, responsáveis por 99,7% do mercado. O índice que mede a oferta passou de estabilidade (0%) para 0,13, o de demanda, de 0,38 para 0,50 e o de aprovação, de 0,25 para 0,50 entre o terceiro e o quarto trimestre.

(Texto atualizado às 18h13)

Tudo o que sabemos sobre:
CréditobancoscriseBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.