Pessimismo cede um pouco e bolsa tem discreta alta

Após uma quarta-feira de forte nervosismo, a bolsa de São Paulo operou menos tensa hoje. A trégua na crise política, a ata do Copom e o bom desempenho das bolsas americanas fizeram o Ibovespa fechar em ligeira alta de 0,07%, com volume negociado de R$ 1,159 bilhão. Às 18h30, o risco Brasil operava perto da estabilidade (-6 pontos) e os C-Bonds resgistravam desvalorização de 0,3%, Em Nova York, o Dow Jones subiu 1,70% e a Nasdaq valorizou 3,02%. No mercado de juros, a ata do Copom reforçou as expectativas de que a taxa de juro poderá seguir em queda. No curto prazo, os contratos de juros reduziram as taxas. Mas, nos prazos mais longos, as taxas subiram. Para o mercado, o tom mais moderado da ata sugere que pode haver corte de juros ainda que a inflação fique um pouco mais elevada. Isso significa que o juro real tende a ficar mais baixo no longo prazo. E, para comprar os contratos de DI longos, o mercado quer um prêmio maior.

Agencia Estado,

25 Março 2004 | 18h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.